segunda-feira, 13 de setembro de 2021

Método das Horas de Paulo Freire em Angicos será destaque no Complexo Rampa.


Maior equipamento cultural em desenvolvimento no país, o “Complexo Rampa - Arte Museu Paisagem” vai colocar o Rio Grande do Norte de vez na rota dos grandes museus do Brasil. Localizado em Natal, à beira do Rio Potengi, o novo atrativo turístico será um ganho não apenas para a capital, mas para toda a sociedade potiguar, com impactos culturais, sociais e econômicos.

Uma estrutura de tão grande porte e que toca em questões tão preciosas da história norte-riograndense só é possível de ser construída com a participação da população. Nesse sentido, historiadores, professores, profissionais do turismo, estudantes de ensino médio, povos indígenas e quilombolas, qualquer pessoa interessada em conhecer melhor o projeto e colaborar com sugestões e apontamentos têm um canal direto para contato: os Diálogos Rampa.

Os Diálogos Rampa são encontros virtuais promovidos pela Casa da Ribeira - instituição responsável pela ocupação artística do complexo. As reuniões acontecem semanalmente, com transmissão através da plataforma Zoom. Na ocasião, membros da equipe museóloga e curatorial apresentam o projeto e conversam com o público, respondendo dúvidas e ouvindo opiniões. O próximo encontro será na terça-feira, dia 14, às 10h. Para participar, basta entrar em contato através do Whatsapp da Casa da Ribeira (84 98704-0265). Mais informações podem ser encontradas nas redes sociais da Casa (@casadaribeira).

Por estar localizado exatamente onde funcionou o antigo terminal de hidroaviões, e a antiga base militar americana durante a Segunda Guerra Mundial, o Complexo Rampa vai destacar esses dois importantes momentos da história potiguar. Mas a exposição que está sendo montada vai muito além, valorizando o patrimônio histórico e cultural do Rio Grande do Norte como um todo. Por exemplo, são objetos da pesquisa as inscrições rupestres do Lajedo de Soledade, em Apodi, o voo das arribaçãs, de Serra de São Bento, o pioneirismo de mulheres desde Nísia Floresta até Alzira Soriano, em Lajes, Celina Guimarães, em Mossoró, e Júlia Medeiros, em Caicó, passando pelo trabalho educacional de Paulo Freire em Angicos, dentre muitos outros episódios e personagens marcantes da história potiguar.

O projeto está dividido em duas fases de implementação, com recursos totais na ordem de R$ 7,6 milhões, viabilizados através da Lei Câmara Cascudo de renúncia fiscal (onde empresas destinam parte do seu ICMS para patrocínio cultural). A ocupação artística do complexo está sob responsabilidade da Casa da Ribeira, instituição independente e com expertise na elaboração e gerenciamento de projetos culturais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Administrador

Minha foto
Estudante do Curso - Bacharelado em Administração, apresentador do Programa Radiofônico Celebrando à Cristo da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Angicos, Redator da Coluna "Giro pela Cidade", Titular do Blog Angicos Noticias e blogueiro!